sábado, 14 de junho de 2008

Juntar vidas é juntar limitações(cancaonova.com)

Quando nos aproximamos de alguém e iniciamos qualquer tipo de relacionamento (amizade, coleguismo, namoro, matrimônio, ideais religiosos, etc...), nos aproximamos também de suas fraquezas e frustrações. Quanto mais próxima for nossa convivência, maior será essa constatação, pois teremos um contato muito maior com as limitações da pessoa. Somente pela experiência do amor verdadeiramente autêntico é possível ao ser humano começar a curar suas enfermidades e construir uma história de vida equilibrada. Só o amor verdadeiro pode curar as feridas que trazemos embutidas em nossa vida.

Ao unir duas pessoas, em qualquer relacionamento, o amor une também seus sofrimentos. Juntar vida é juntar limitações. O sofrimento e o amor são as experiências mais íntimas e pessoais que existem. Se o amor revela o lado bonito da vida, o sofrimento está sempre presente para lembrar um lado menos bonito, mais sério e triste. E aqui não se trata de fazermos uma escolha entre amor e sofrimento. Na verdade, essas duas realidades são a manifestação de uma única existência.

Excluir o amor ou o sofrimento da vida é aniquilar-se. Somos modelados pelo amor e pelo sofrimento. Infelizmente, como estamos vivendo num mundo cada vez mais superficial, em que as pessoas buscam as coisas fáceis, instantâneas e descartáveis, queremos fugir de relacionamentos que exigem sacrifícios, renúncia, garra, perdão, recomeço...
quer ler mais aperte AQUI

2 comentários:

Rita Costa disse...

É,juntar vidas é algo que devemos pensar com muito carinho antes. Ou do contrário um futuro de magoas é coisa certa.

Carlos,... hoje além de apreciar seus textos sempre interessantes, vim também te agradecer mais uma vez pela indicação do meme que finalmente consegui postar. Perdoe a demora mas é que ando mesmo sem muito tempo para o blog ok. Obrigada e um abraço

M.M. disse...

Como diz no texto, a maioria das pessoas buscam o imediato e fácil... Mas é da essência do significado dos compromissos, seja profissional ou amoroso, que exista o enfrentamento de obstáculos e o pensamento em conjunto, porque depois do firmamento de um laço, sua ruptura pode não prejudicar os que abandonam, mas sim aqueles que se mantiveram fieis e segurando as mudanças de percurso até então, pode parecer simples se livrar de um relacionamento mas dependendo do modo isso destrói também os planos de uma vida, e é claro que ninguém tem este direito.

Talvez seria por esse motivo que um grande número de pessoas aclamam o estado de solteiro(a) e tornam um ideal de vida, com frases "penso, logo sou solteiro" hehe... Mas isso realmente seria uma maneira de obter sucesso nos relacionamentos ou só um modo de fugir de responsabilidades a vida toda?